Aproveite as nossas últimas novidades e ofertas especiais

A especificidade dos produtos em acrílico

A transparência

“Aqui (…) há o problema da transparência, do dentro e do fora, o dentro e o fora ao mesmo tempo, como objeto e sujeito são os mesmos, o côncavo e o convexo são juntos, sente-se assim a temática da transparência. Foi uma temática que me apaixonou não por ser espelho. O espelho é simétrico e a transparência não é.”

Mira Schendel

O acrílico é um polímero. É produzido através da polimerização de ésteres acrílicos. Existem vários tipos de acrílico, mas por agora pretendemos referir apenas os produtos em acrílico ou seja, os objetos que são produzidos com recurso ao acrílico. Bem vistas as coisas, será sempre o acrílico que está em análise; mas queríamos olhar sobretudo para os produtos feitos em acrílico. É sabido que existe acrílico espelhado. No entanto, vamos prender a nossa atenção nos produtos executados em acrílico cristal ou seja, transparente.

Um produto executado em acrílico cristal tem uma transparência de 92%. Portanto, ao ser produzido em acrílico cristal o produto apresenta uma transparência superior à que teria se fosse executado em vidro. O produto executado em acrílico cristal é ainda mais transparente do que seria se nos fosse apresentado num outro polímero. Portanto, do ponto de vista das suas aplicações, o acrílico cristal é recomendado onde e sempre que se valorize a transparência. E muito se pode dizer sobre a transparência do acrílico!

Um produto em acrílico cristal tende a “desaparecer”! É essa uma das suas virtudes. Contudo, e numa outra perspetiva, a peça executada em acrílico cristal pode – deve? – valer por si! O produto em acrílico cristal pode ter funcionalidade…..e estética. São duas perspetivas relevantes para um produto em acrílico.

Efetivamente, parece que a transparência do acrílico cristal é, em simultâneo, uma virtude e um defeito. Uma caixa em acrílico cristal tende a esbater-se, a ausentar-se para fazer sobressair ou apenas deixar ver o objeto que encerra no seu interior!

Mira Schendel, ocorre-nos quando pensamos no acrílico nesta perspetiva. Para esta artista plástica o acrílico demonstrava que a transparência é ainda uma forma de opacidade. O produto em acrílico permite ver o objeto que se encerra dentro de si. No entanto, o acrílico interpõe-se entre nós e o objeto. E transforma-o! E define-o!

Para a artista, o acrílico é dotado dessa “(….) espécie de diafaneidade misteriosa que obriga o olhar a redefinir incessantemente as noções de opacidade. O transparente e a luz trabalham aqui como meios, em todos os sentidos do termo, reveladores da espessura do mundo, da corporeidade do espaço-tempo no qual estamos imersos.”

No entanto, aquela caixa em acrílico cristal pode cumprir essa função e, ainda assim, ser bela! Veja-se o “cristal da Baviera”. Muitas das peças feitas com este material são belas porque são transparentes e, além disso, possuem uma beleza que lhes advém das suas formas. Os produtos executados em acrílico transparente encerram o mesmo sortilégio. E, nunca é demais repeti-lo, são muito transparentes.

O objeto em acrílico pode/ deve ser belo. O conjunto pode – e deve – ser belo. O objeto de acrílico e aquele que ele deixa ver. A especificidade está toda aí. O objeto em acrílico relaciona-se com outro e serve-o com a sua beleza. O produto executado em acrílico forma um conjunto com o outro objeto. Isto para quem quer relacionar o objeto em acrílico com um outro. Aqui, digamos que o produto em acrílico não “concorre”, não disputa a atenção do sujeito observador.

Mas não deve incorrer numa desarmonia empobrecedora do outro! O objeto em acrílico é feito em face e em função do outro. É feito para o outro e vive nesta relação com ele! Isto tem as maiores implicações na criação de produtos em acrílico cristal. Eles deverão “nascer” depois do outro. Para ele!

Mas pode suceder que o objeto em acrílico se destine a valer por si. Aí, procura-se algo diferente ou seja, pretende-se que o produto em acrílico tenha um fim estético em si mesmo. Nesta ótica, podemos, talvez, levar em consideração outras propriedades do acrílico.

Veja-se o brilho de um produto em acrílico. O acrílico tem um brilho muito peculiar! Contudo, para além das propriedades do acrílico como matéria-prima o brilho que um produto em acrílico apresente também depende da forma como é executado. Repare-se ainda na extraordinária facilidade de dar formas ao acrílico, a sua maleabilidade. Mas este é assunto para outras reflexões.

Aqui, finalizamos como iniciamos ou seja, se procurarmos as “condições do visível” substituímos o “binómio essência/aparência, estado de dualidade (..)” por aquele de cariz fenomenológico de “(..) aparecer/condições do aparecer, em uma lógica de complementaridade.” O acrílico cristal faz este apelo à nossa subjetividade!


25 visualizações